12 de junho de 2021

Por um Cancioneiro Musical de Luis de Camões, seminário por Fábio Vianna Peres


GRUPO DE INVESTIGAÇÃO POÉTICAS EM LÍNGUA PORTUGUESA (PLP)

(No âmbito do projeto de investigação “Reescrever o séc. XVI”)

“Cantar Camões”
Por um Cancioneiro Musical de Luis de Camões

Fábio Vianna Peres – São Paulo/Brasil

Seminário online

11 / junho / 2021

11h-13h (hora de Portugal continental) / 7h-9h (hora do Brasil)

Contacto: micaelar@ilch.uminho.pt / dircehum@ilch.uminho.pt

"A produção poético-musical portuguesa quinhentista foi conservada em quatro cancioneiros de mão. Estes são os únicos documentos que trazem, além da poesia, música escrita. Apesar do número relativamente pequeno de documentos musicais diante da imensa produção poética do período, podemos afirmar que a poesia em redondilhas e em especial aquela escrita nas formas fixas da cantiga, do vilancete e do romance, tinham carácter musical e eram entoadas musicalmente no contexto da vida cortesã quinhentista.

Em um destes cancioneiros, o de Paris, é possível identificar alguns motes musicados que são coincidentes com motes glosados por Camões, reunidos já na primeira edição de suas Rythmas, em 1595.

A partir de concordâncias identificadas entre as redondilhas de Luis de Camões com o material poético musical do Cancioneiro de Paris, é possível propor a criação de um Cancioneiro Musical com a obra do poeta.

Com a premissa de que existe uma musicalidade inerente à vocalização dos versos em redondilha, propomos a utilização de material musical proveniente dos cancioneiros musicais portugueses quinhentistas para dar uma “voz musical” a outras voltas escritas por Camões.

A pesquisa se materializa em um programa de concerto intitulado “Cantar Camões”, que traz voltas escritas pelo poeta adaptadas a melodias dos cancioneiros de Paris e Elvas."


Capela Ultramarina, “Cantar Camões”

Concepção, pesquisa, adaptações, arranjos e edições,
Fábio Vianna Peres

Fábio Vianna Peres, voz e vihuela
Roney Facchini, ator convidado
Carla Candiotto, direção cênica

Texto:
Soneto: “Amor, que o gesto humano na alma escreve”

Música:
“Na fonte está Leanor”
(Rimas, 1616, Segunda Parte, fls. 29v.-30)
Música “Na fonte está Lianor”, CMP, Fls. 119v-120






Fábio Vianna Peres, nota biográfica

Fábio Vianna Peres é n
atural de Niterói, no Rio de Janeiro, e vive em São Paulo desde 1997.
É músico e dedica-se à pesquisa e interpretação da música antiga segundo as práticas da interpretação historicamente informada. 
Nesse domínio, atua como cantor e instrumentista de cordas dedilhadas antigas - vihuela, guitarra de cinco ordens e teorba - com especial atenção ao repertório ibérico dos séculos XVI e XVII.
Criou a Capela Ultramarina, em 2000, ensemble focado na música dos cancioneiros portugueses quinhentistas e com o qual lançou o álbum “A cantar uma cantiga” (2019), com música do "Cancioneiro de Paris" escrita sobre poemas em língua portuguesa.
Integra também o Coro da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) e é Diretor Artístico Assistente da Orquestra Municipal de Jundiaí.