20 de janeiro de 2023

Pintar os Descobrimentos Portugueses em grandes painéis de azulejos, uma das artes de Marcos Muge




Painel de azulejos “Descobrimentos Portugueses”, 1998

[Camões, o épico, e Vasco da Gama, o navegador e personagem da viagem à Índia]

pelo Atelier Marcos Muge

Localização atual: Câmara Municipal de S. João da Madeira.

Na fotografia: o artista Marcos Muge junto à sua obra exposta na FIA, em 1998,
com o Sr. António Sousa, encarregado geral na antiga Fábrica Viúva Lamego, que lidou com todos os grandes pintores portugueses que passaram pela Fábrica,  desde Almada Negreiros, Vieira da Silva, Pomar, Jorge Barradas, etc.
[Informação do Artista]


Painel de azulejos, de grande dimensão, representando os Descobrimentos Portugueses: configuração, à esquerda, de Luiz Vaz de Camões, autor da epopeia Os Lusíadas (1572) em que se narram os feitos marítimos lusos; configuração, à direita, de Vasco da Gama, o capitão da frota do caminho marítimo para a Índia e o protagonista da epopeia camoniana; ao centro da composição, o mapa de 1508 executado após a viagem de Vasco da Gama à Índia; no topo, salienta-se a esfera armilar que se tornou num dos emblemas de D. Manuel I.

Datado de 1998, é constituído por cerca de 442 azulejos com a medida 14 por 14 cm cada (nos cantos da composição, são triangulares), distribuídos em altura e largura com 17 por x 26 azulejos, produzidos no Ateliê Marcos Muge. Na sua pintura manual a pincel (sem aerógrafo), o autor utilizou o azul-cobalto. 
O painel “Descobrimentos Portugueses” foi concebido por Marcos Muge, por convite, para a exposição de azulejo na Feira Internacional de Artesanato (FIA), que decorreu em Lisboa, entre 4 e 12 de julho de 1998, em representação do concelho de Ovar, integrando, desse modo, a grande Expo 98 celebrativa dos 500 anos dos Descobrimentos.

Essa e outras obras do artista (por exemplo, “Cidade de Ovar - Museu do Azulejo”), no pavilhão da Câmara Municipal de Ovar, estiveram expostas na área central, cuja temática nesse ano era o Azulejo e a exposição intitulada “As Idades do Azul”.





As idades do azul: formas e memórias da azulejaria portuguesa

EXPOSIÇÃO DE AZULEJO
Feira Internacional de Artesanato de Lisboa
4 a 12 de julho de 1998













As idades do azul: formas e memórias da azulejaria portuguesa.

– Exposição de azulejo na Feira Internacional de Artesanato, Lisboa, 4 a 12 de julho de 1998. 

Org. Instituto de Emprego e Formação Profissional; fotografia José Carlos Garcia. 

Lisboa: IEFP, 1998. / 2ª ed., 2003




O artista Marcos Muge tinha sido convidado a emprestar um painel de azulejos para representar Portugal, pelo Estado Português através do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) de Lisboa, que tinha a parceria do Museu Nacional do Azulejo em toda a logística para a exposição. AS IDADES DO AZUL tinha passado por Florença em representação de Portugal, agora em Lisboa na FIA, e encerraria em Milão. Entre os autores representados constavam Almada Negreiros, Paula Rego, Júlio Pomar, Querubim Lapa, Eduardo Nery, Graça Morais, etc.

O painel sobre os “Descobrimentos Portugueses” de Marcos Muge foi adquirido pela Câmara Municipal de S. João da Madeira, tenso sido apresentado no Fórum Municipal, a 3 de novembro de 1998, com a presença do Presidente da Câmara, Sr. Manuel Cambra, o vereador da Cultura, Sr. Nelson Fernandes, e restante executivo e convidados, incluindo o autor da obra. Esta encontra-se atualmente à guarda desta Câmara, em caixas nos depósitos, aguardando a sua colocação num espaço publico da cidade.




A obra exposta na FIA, em julho de 1998

e aquando da sua exibição em S. João da Madeira, 1998





















Painel “Descobrimentos Portugueses” [os reis das grandes viagens marítimas], 1997

pelo Atelier Marcos Muge

Localização atual: Câmara Municipal de Santa Maria da Feira.



Painel de azulejos, de grande dimensão, representando os Descobrimentos Portugueses: configuração, à esquerda, do rei D. João II; configuração, à direita, do rei D. Manuel I; ao centro da composição, a Ribeira das Naus e Calecute / Índia, pontos de partida e de chegada da viagem da qual se comemoravam os 500 anos. Em baixo, ladeando a representação da Ribeira das Naus encontram-se dois padrões sinalizando o avanço marítimo no novo mundo com “Diogo Cão 1483”, e com “Bartolomeu Dias 1488”. Dois navegadores cujas viagens contribuíram para a construção de uma nova rota marítima essencial para se chegar à Índia.

Datado de 1997, “Descobrimentos Portugueses” é um painel constituído por cerca de 558 azulejos com a medida 14 por 14 cm cada (nos cantos da composição, são triangulares), distribuídos em altura e largura com 18 por x 31 azulejos, produzidos no Ateliê Marcos Muge. Na sua pintura manual a pincel (sem aerógrafo), o autor utilizou o azul-cobalto. 

A obra foi exposta pela primeira vez em Lisboa, na Feira Internacional de Artesanato (FIA) no espaço da FIL, entre 5 e 13 de julho de 1997. O painel não foi apresentado a concurso na FIA porque se fosse premiado a instituição teria direito a tomar posse da mesma.

Depois passou pela Feira de Artesanato de Aveiro (FARAV), onde foi premiado.

Em 1998, o painel foi exposto em Cortegaça - Ovar, na CRECOR, onde foi adquirido por um grupo de pessoas de Santa Maria da Feira que depois, em articulação com a Câmara Municipal do concelho, a descerrou em 10 de junho de 2000. Portanto, no Dia de Portugal e de Camões, a obra foi mostrada ao público pelo presidente da Câmara de Santa Maria da Feira, Alfredo Henriques, com o apoio da Liga dos Amigos da Feira, sob a coordenação do Dr. Celestino Portela, na abertura duma Feira Medieval na localidade.


 


A obra exposta na FIA, em julho de 1997

e na sua atual localização, em Santa Maria da Feira, 2000








Para saber +











As imagens são provenientes