18 de janeiro de 2023

As hipóteses de leitura de "Os Lusíadas", 450 anos depois, por Cleber Vinicius do Amaral Felipe



In: revista História da Historiografia, no Facebook





Os lusíadas, 450 anos depois: hipóteses de leitura

Artigo de Cleber Vinicius do Amaral Felipe












Resumo:

“Este artigo reúne informações e análises para um primeiro esforço de interpretação d’Os lusíadas (1572), de Camões, alheio aos critérios românticos de universalização das categorias artísticas e atento aos códigos de composição da épica, que são retóricos, imitativos, prescritivos, voltados para uma conceção providencial de tempo e para uma noção de verdade amparada nos mistérios que fundamentam a metafísica cristã.

A explicitação de conceitos como autor, leitor, epopeia, dentre outros, ajuda a historicizar o repertório coevo da produção poética quinhentista. Se o verso heroico não é, apenas, depositário de epígrafes ou “ilustração” dos “fatos históricos”, a partir do momento em que é concebido como documento ou fonte, faz-se necessário considerar aquilo que institui sua legibilidade e tangencia seu contexto de composição, sediado na sociedade de corte portuguesa do tempo do Rei D. Sebastião.

Por fim, este texto investiga diferentes modalidades de receção sem apagar suas diferenças culturais. Tal percurso busca demonstrar que o poema condensa os dilemas de uma época e sustenta o plus ultra, a ação que desafia limites ao supor o alcance global da iniciativa lusitana.”





Abstract

“This article gathers information and analysis for interpreting Os Lusíadas (1572), by Camões, without naturalizing the romantic criteria that universalize the artistic categories and attentive to the codes of composition of the epic, which are rhetorical, imitative, prescriptive, turned to a providential conception of time and to a notion of truth that is not dissociated from the mysteries of Christian metaphysics.

The explanation of concepts such as “author”, “reader”, “epic”, among others, helps to historicize the contemporary precepts of 16th century poetic production. As the heroic verse is not only the repository of epigraphs or “illustration” of the historical fact, to be conceived as a document or source, it is necessary to consider what establishes its legibility and touches its context of composition, which took place in the Portuguese court society from the time of King D. Sebastião.

Finally, this text investigates different modes of reception without erasing their cultural differences. This path seeks to demonstrate that the poem condenses the dilemmas of an era and sustains the plus ultra, the action that defies limits by assuming the global reach of the Portuguese initiative."






Cleber Vinicius do Amaral Felipe
Professor Adjunto do Instituto de História (INHIS)
da Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
Brasil, MG, Uberlândia.


Autor, entre outros estudos, de


 
Heroísmo na singradura dos mares: histórias de naufrágios e epopeias nas conquistas ultramarinas
Jundiaí, Brasil: Paco, 2018.