27 de agosto de 2022

Camonista - José Carlos Seabra Pereira






José Carlos Seabra Pereira, n.1949
Professor universitário, investigador, camonista.


José Carlos Seabra Pereira é licenciado em Filologia Românica (Univ. de Coimbra) e doutorado pelas universidades de Poitiers, França (1983) e Coimbra (2000).
Trabalhou como professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e da Universidade Católica; foi professor convidado no Instituto Politécnico de Macau. Investiga e leciona nas áreas de Teoria Literária e Literatura Portuguesa Moderna (Decadentismo, Simbolismo, Neorromantismo), de Estudos Camonianos e de Estudos Pessoanos (Modernismo).
Coordenador Científico do Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos é também vice-diretor da luso-brasileira Revista Camoniana. Pertence ao Conselho Executivo da Fundação Inês de Castro, presidindo ao júri do Prémio Inês de Castro. Tem integrado os júris dos principais prémios literários de Portugal e da CPLP, entre os quais o Prémio Camões.



 
 

Camoniana









Primeira epopeia / Luís de Camões

Coord José Carlos Seabra Pereira, Martinho Soares. 
Benfica: Círculo de Leitores, 2018. 

– [439, [9] p. (25cm). 
– Col. “Obras pioneiras da cultura portuguesa”, n.º 17, 
dir. José Eduardo Franco, Carlos Fiolhais.




  • (2018) “Introdução”, in Primeira epopeia / Luís de Camões. Coord José Carlos Seabra Pereira, Martinho Soares. S.l.: Círculo de Leitores, p. 7-39.
  • (2018) Os Lusíadas, na figuração de Levi Guerra. Coord. José Carlos Seabra Pereira, Margarida Negrais; fot. Marcos Oliveira. S.l.: Levi Guerra - CIEC. – [147, [1] p. : il. (31cm)].









"Na proto-história da literatura de Macau (Camões, F. Mendes Pinto, Bocage, Garrett)"

in O Delta Literário de Macau

de J C Seabra Pereira
Macau: Instituto Politécnico de Macau, 2015, 19-48.






  • (2015) Camões na Perspectiva do Modernismo, conferência, in Congresso Internacional "Orpheu 100". [...]
  • (2013) Novos reflexos da Inês camoniana, in Pedro e Inês: o futuro do passado. Coimbra: Associação de Amigos de D. Pedro e D. Inês, 61-83.
  • (2013) Carlos Queiroz e o efeito Camões: um “uso mais moderno¿?»", Diário de Notícias, Suplemento Quociente de inteligência. - [V. AA.VV - Carlos Queiroz (1907-1949) – Retrato de um poeta pelos seus amigos, Coimbra: CIEC, 2015].
  • (2012) Vasco Graça Moura mediador de Camões, As Artes entre as Letras, 2 (2012), 10-12.
  • (2012) Camões e a espiritualidade do seu tempo, in Maria do Céu Fraga et al, Camões e os Contemporâneos. Coimbra, Ponta Delgada, Braga: CIEC/ Univ. dos Açores/Univ. Católica Portuguesa, 117-154. – [Conferência de abertura do Colóquio Internacional Teografias III, Univ. de Aveiro, 20.06.2013].










Actas da VI reunião internacional de camonistas


Coord. José Carlos Seabra Pereira; Manuel Ferro.

Coimbra: Imprensa da Universidade, 2012.




  • (2012) Ainda Actéon na “Écloga dos Faunos” e a cisão na lírica camoniana, in Actas da VI reunião internacional de camonistas. Coord. José Carlos Seabra Pereira; Manuel Ferro. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 109-119.










"Reler Os Lusíadas em tempos de crise"

in Luís de Camões, Os Lusíadas


Lisboa: A Bela e o Monstro Edições, 303-311.




  • (2011) Inês de Castro (episódio de), in Vítor Aguiar e Silva, coord., Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 444-449.
  • (2011) Camões e o(s) Modernismo(s) em Portugal, in Vítor Aguiar e Silva, coord., Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 147-153.
  • (2011) Camões e o neorromantismo, in Vítor Aguiar e Silva, coord., Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 167-172.
  • (2011) Augustinianismo em Camões, in Vítor Aguiar e Silva, coord., Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 45-52.
  • (2009) Alotropia e desejo de plenitude na modernidade ocidental (com preâmbulo camoniano), in Utopias & Distopias. Coimbra: Imprensa da Universidade, 277-285.
  • (2009) A pena da escrita e o canto: de Camões a Pessoa, in Actas do Centre d'Études Lusophones de Genève, Filologia e Literatura, n.º 1, Lisboa: Colibri, 113-122.
  • (2007) Primeiros apontamentos sobre Camões no Neo-Romantismo português, Relâmpago, n.º 20 (2007), 61-90.
  • (2007) Notas sobre Camões e o(s) Modernismo(s) em Portugal, in Estudos Para Maria Idalina Rodrigues, Maria Lucília Pires, Maria Vitalina Leal de Matos. Lisboa: FLUL - Dep. Literaturas Românicas, 519-536.
  • (1999) A Fome de Camões e outros Destinos poéticos, Gomes Leal. Ed. de – . Lisboa: Assírio & Alvim.
  • (1984) Para o estudo das incidências augustinianas na lírica de Camões, in IV Reunião Internacional de Camonistas: actas. Ponta Delgada: Univ. Açores, 431-448.
  • (1984) Apontamentos sobre uma elegia augustiniana de Camões: “Se quando contemplamos as secretas”, in Afecto às letras: Homenagem da literatura portuguesa contemporânea a Jacinto do Prado Coelho. Lisboa: INCM, 329-35.









"Em torno das relações paragramáticas da poesia de Afonso Duarte com a obra de Camões"

in Do fim-de-século ao tempo de Orfeu


Coimbra: Almedina, 1979, 119-148.