18 de setembro de 2021

CAMONISTA - Maria do Céu Fraga







Maria do Céu Fraga

n. 1958
Professora, investigadora, camonista, sousiana



Maria do Céu Amaral Fortes de Fraga Amaral nasceu em 1958.

É doutorada em Literatura Portuguesa Clássica com a tese Os géneros maiores na poesia lírica de Camões (2003).

É Professora associada na área da  Literatura: Estudos Literários  da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade dos Açores, instituição em que tem desenvolvido a sua carreira; é atualmente diretora do CEHu – Centro de Estudos Humanísticos, na mesma Universidade, e membro do Centro de Estudos Portugueses, na Universidade de Coimbra. 

A sua investigação centra-se na literatura portuguesa clássica (séculos XVI e XVII) e privilegia os Estudos Camonianos, área do seu doutoramento, mas abrangendo também outros temas e autores da época, nos domínios da teoria literária (bucolismo, géneros literários), da história literária e do ensino da literatura.

É autora de vários entradas no Dicionário de Luís de Camões (2011) e de livros sobre a obra camoniana: Camões: um bucolismo intranquilo (1989), Os géneros maiores na poesia lírica de Camões (2003) e Babel e Sião: um manuscrito da Camoniana de D. Manuel II (2021). Este último estudo reconcentra o seu interesse pela lírica camoniana, mas evidencia igualmente um dos seus temas e áreas de investigação eleitos: Manuel de Faria e Sousa como comentador; a vida e a obra desta figura extraordinária. A sua obra avulsa ganhava em ser reunida numa ou duas coletâneas para melhor acessibilidade de conjunto para o leitor.

"Conhecedora profunda, por amor e graças a honesto estudo, da poesia camoniana, Maria do Céu Fraga domina com segurança os instrumentos da história literária, da literatura comparada e da teoria literária com que construiu a sua obra, demonstrando um espírito de rigor, uma capacidade analítica, um sentido do equilíbrio e uma sobriedade discursiva que a assinalam como investigadora exemplar." - In: Livaria Almedina online.

 



Camoniana

  • (1988) Camões: um bucolismo intranquilo. – trabalho de síntese para prestação de provas de aptidão pedagógica e capacidade científica apresentado à Univ dos Açores. Ponta Delgada: Univ. dos Açores.



Camões: um bucolismo intranquilo 

Coimbra: Almedina, 1989. 


Recensão crítica: 

Earle, T F. (1994) Maria do Céu Fraga, Camões: um bucolismo intranquilo, in Bulletin of Hispanic Studies, Liverpool, Vol. 71, n.º 1  (Jan 1, 1994), 110.



  • (1990) “Muerome de imbidia!”: Faria e Sousa e a interpretação das Rimas várias, in Arquipélago: Línguas e Literaturas, 11 (1990), p. 47-66.
  • (1996) “A corrosão do idílico nas éclogas de Camões”, in AA.VV – Lírica Camoniana: estudos diversos. Constância: CIEC da Associação Casa¬-Memória de Camões em Constância / Lisboa: Cosmos, 65-86.
  • (1996) “Sá de Miranda e os poetas do Círculo Mirandino”, in Arquipélago: Línguas e Literaturas, XIV (1994¬-96), 85¬-95.
  • (1997) Os géneros maiores na poesia lírica de Camões – tese de doutoramento. Ponta Delgada: Univ. dos Açores, 1997.
  • (2000) A poesia de definição e de catálogo na poesia de Camões, in Arquipélago  Línguas e Literaturas, vol. XVI (1999¬-2000), 229¬-247.
  • (2000) José do Canto: o fascínio de Camões, in AA.VV – José do Canto no Centenário da Sua Morte. Ponta Delgada: Instituto Cultural de Ponta Delgada, 169-184.
  • (2000) Para uma didática/pedagogia renovada de Os Lusíadas, in AA.VV – Didáctica da Língua e Literatura. Coimbra: Almedina, vol. II, 999-1006.
  • (2003) O Pranto de Maria Parda: o siso dos filhos de Noé, in Ensaios Vicentinos. Coimbra: A Escola da Noite, 151¬-167.





Os géneros maiores na poesia lírica de Camões

Coimbra: CIEC / Acta Universitatis Conimbrigensis, 2003.







  • (2004) Camões – entre os Antigos e os Modernos, in Carlos Mendes de Sousa e Rita Patrício, orgs., Largo Mundo Alumiado: estudos em homenagem a Vítor Aguiar e Silva. Brag: Univ. do Minho, vol. II, 785-795.
  • (2004) Professor José de Almeida Pavão, Revista Camoniana. – Revista de Estudos de Literatura Portuguesa do Núcleo de Estudos Luso-brasileiros da Univ. do Sagrado Coração, 3ª série, vol. 15, Bauru-São Paulo, Brasil, 277-279.
  • (2005) Sousa, Manuel de Faria e, verbete, in José Augusto Cardoso Bernardes, Aníbal Pinto de Castro et al., dir, Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa, vol. V, Lisboa: Verbo, cols. 218¬ 23.
  • (2006) Sá de Miranda, os caminhos convergentes, Floema, ano II, 4 (jul-dez 2006), 109-142.
  • (2007) Gaspar Frutuoso: a literatura, o desterro e as saudades, in ALMEIDA, Isabel et al.Estudos para Idalina Rodrigues, Maria Lucília Pires e Maria Vitalina Leal de Matos. Lisboa: FLUL – Dep. de Literaturas Românicas, 675-703.
  • (2008) Os estudos camonianos no século XX, in GOULART, Rosa Maria; Maria do Céu Fraga; Paulo Meses, org. – O Trabalho da Teoria: Actas [do] colóquio em homenagem a Vítor Aguiar e Silva. Ponta Delgada: Univ. dos Açores, 153-161.
  • (2008) Sá de Miranda: os caminhos convergentes da vida e da literatura, Floema, ano II, 4 – Dossiê: Sá de Miranda (xx), 109-142.
  • (2010) José Maria Rodrigues: o camonista. – “Estudo introdutório”, in Estudos sobre Os Lusíadas / José Maria Rodrigues. 3.ª ed., Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, p. XLIII-LVII
  • (2010) O tempo e o espaço, a errância na lírica de Camões, Floema, ano VII, 7, (jul-dez 2010), 43-59.
  • (2010) Paisagens bucólicas com e sem pastores, Colóquio/Letras, 174 (MAIO 2010), 63-76.
  • (2011) “Collecção Camoneana" de José do Canto, verbete, in SILVA, Vitor Aguiar, coord. – Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 270-272.
  • (2011) Canção, verbete, in SILVA, Vitor Aguiar, coord. – Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 182-187.
  • (2011) Cancioneiro Cristóvão Borges, verbete, in SILVA, Vitor Aguiar, coord. – Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 42-45.
  • (2011) Cancioneiro Fernandes Tomás, verbete, in SILVA, Vitor Aguiar, coord. – Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 198-201.
  • (2011) Círculo Camoniano, verbete, in SILVA, Vitor Aguiar, coord. – Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 268-269.
  • (2011) Éclogas, verbete, in SILVA, Vitor Aguiar, coord. – Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 323-327.
  • (2011) Elegias, verbete, in SILVA, Vitor Aguiar, coord. – Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 334-337.
  • (2011) Epístolas, verbete, in SILVA, Vitor Aguiar, coord. – Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 353-358.
  • (2011) Odes, verbete, in SILVA, Vitor Aguiar, coord. – Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 643-646.
  • (2011) Orta, Garcia de, verbete, in SILVA, Vitor Aguiar, coord. – Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 651-653.
  • (2011) Pavão, José de Almeida (camonista), verbete, in SILVA, Vitor Aguiar, coord. – Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 667-668.
  • (2011) Sextina, verbete, in SILVA, Vitor Aguiar, coord. – Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 903-904.
  • (2011) Armas e Letras, verbete, in SILVA, Vitor Aguiar, coord. – Dicionário de Luís de Camões. Alfragide: Caminho, 42-45.
  • (2012) A poesia de definição e de catálogo nas Rimas de Camões, in Actas da VI Reunião Internacional de Camonistas. Ponta Delgada: Univ. dos Açores, 289-298.






Camões e os contemporâneos 

Org. Maria do Céu Fraga et al.

– Coimbra/Ponta Delgada/Lisboa: CIEC; Univ. dos Açores; Univ. Católica Portuguesa, 2012.






  • (2012) Martim de Castro do Rio: outros tempos para o nosso tempo, in FRAGA, Maria do Céu et al., org. – Camões e os contemporâneos. Braga: CIEC; Univ. dos Açores; Univ. Católica Portuguesa, 327-337.



As Rimas, in José Augusto Cardoso Bernardes (coord.) Camões nos Prelos de Portugal e da Europa (1563-2000): a Biblioteca Camoniana de D. Manuel II. Vol. II, Coimbra: Imprensa da Universidade / Fundação da Casa de Bragança, 2015, 61-107.


Os manuscritos de Faria e Sousa, in Idem, Ibidem, p. 181-185.









Babel e Sião: um manuscrito da Camoniana de D. Manuel II

– [“Sôbolos rios que vão” de Camões e o comentário de Faria e Sousa]. 

Ponta Delgada: Centro de Literatura Portuguesa da Univ. dos Açores / Vila Viçosa: Fundação da Casa de Bragança, 2021.

V. Índice.






  • (2021) Camões, Diogo Bernardes e Faria e Sousa : as éclogas «usurpadas» e «restituídas», Colóquio/Letras, n.º 208 (set. 2021), 146-159.
  • (2021) Doutrina, queixumes e cuidados sem fim: o mundo pastoril de Francisco Rodrigues Lobo, comunicação, in Congresso Científico 400 anos Francisco Rodrigues Lobo . – org. C.M.  de Leiria; Politécnico de Leiria; coord. científica Carlos Ascenso André. Leiria, 16-17 set. 2021.