Mostrar mensagens com a etiqueta Soneto - Aquela triste e leda madrugada. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Soneto - Aquela triste e leda madrugada. Mostrar todas as mensagens

2024/01/21

Aquela triste e leda madrugada,




Aquela triste e leda madrugada,
cheia toda de mágoa e de piedade,
Enquanto houver no mundo saudade,
Quero que seja sempre celebrada.

Ela só, quando amena e marchetada
saía, dando ao mundo claridade,
viu apartar-se de üa outra vontade,
que nunca poderá ver-se apartada.

Ela só viu as lágrimas em fio,
Que, de uns e de outros olhos derivadas,
se acrescentaram em grande e largo rio.

Ela viu as palavras magoadas
que puderam tornar o fogo frio,
e dar descanso às almas condenadas.

Luís de Camões


Fonte:

Lírica completa - II : Sonetos, org., pref. e notas de Maria de Lurdes Saraiva, 2.ª ed., revista, Lisboa: INCN, 1994, p. 172.


A lua nova / The New Moon, 1840, por William Turner
Londres, Tate Gallery.