Mostrar mensagens com a etiqueta Colóquio Mulheres excecionais do século XVI. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Colóquio Mulheres excecionais do século XVI. Mostrar todas as mensagens

2024/04/18

Mulheres excecionais do século XVI, colóquio organizado pelo CIEC de Coimbra




Mulheres excecionais do século XVI: 

representação, memória e esquecimento

COLÓQUIO

21 de Maio de 2024

Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra | Anf. III

Organização
Doutoramento em Estudos Feministas - FLUC e Centro de Estudos Sociais

Colaboração
Grupo de Pesquisa Reescrever o século XVI - CNPq / U. São Paulo

Atividade financiada pela 
Fundação para a Ciência e a Tecnologia -  Projeto UIDP/00150/2020

Entrada livre
Inscrição obrigatória em: 
ou


Descrição:

"Luís de Camões (c. 1524-1580) dedicou uma parte significativa da sua obra à criação de figuras femininas que cantou nas mais diversas facetas. Entre a imagem de Leonor que seguia descalça, com a sua vasquinha de cote “mais branca que a neve pura” e o rosto da “pretidão de amor” oferecida por Bárbara, o poeta tornou célebres inúmeras personagens que disputam a fama dos “barões assinalados”. Estas figurações correspondem a idealizações ditadas por princípios estético-literários próprios da época, bem como pelo seu imaginário social, historicamente situado. Na nossa contemporaneidade, reconhecemos que estamos perante uma figuração “da mulher” à revelia das mulheres coevas, plurais e diversas na sua materialidade.

Em Portugal, como noutros países, o trabalho de resgate das mulheres para a história tem vindo a ser robusto nas últimas décadas: hoje, conhecemos muitas mulheres antes esquecidas e ocultas do nosso olhar. Deste nosso lugar no presente, no ano em que se assinalam os 500 anos do seu nascimento, entendemos que a poesia de Camões nos convida a debater o que sabemos hoje acerca das mulheres que se destacaram no século XVI.

Este colóquio reúne especialistas de história, de literatura e de história de arte, e pretende refletir sobre mulheres do século XVI entretanto resgatadas, debruçando-se sobre as formas como adquiriram notoriedade, os eventuais testemunhos deixados, as figurações que delas foram sendo feitas pelas artes e pela historiografia, e o conhecimento sobre elas de que atualmente dispomos. Pretende-se ainda refletir sobre estratégias de investigação que contribuam para o resgate de figuras femininas em várias áreas do saber, promovendo assim um diálogo interdisciplinar que permita a criação de um conhecimento mais amplo e robusto."





PROGRAMA

in CIEC

SESSÃO DE ABERTURA, 9h30-9h45

  • José Carlos Seabra Pereira, Coordenador do Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos (CIEC)
  • Albano Figueiredo, Diretor da Faculdade de Letras
  • Filipa Araújo, CIEC
  • Adriana Bebiano, Doutoramento em Estudos Feministas (FLUC/ CES)

SESSÃO 1, 9h45-10h45: Mulheres escritoras do século XVI

Moderação: José Carlos Seabra Pereira (Coordenador do CIEC)
  • Marcia Arruda Franco (Universidade de São Paulo): “Carta que mandou uma mulher a seu filho porque se casou a furto”
  • Isabel Morujão (Universidade do Porto): “Joana da Gama: singularidades de uma autora que se fez editar”

Pausa para café: 10h45-11h15

SESSÃO 2, 11h15-12h45: Representações visuais: gravuras, emblemas e empresas

Moderação: Filipa Araújo (CIEC)
  • José Julio Garcia Arranz (Universidade de Extremadura): “Una visión humanista de la condición femenina: la mujer en los Emblemata de Andrea Alciato”
  • Reyes Escalera Perez (Universidade de Málaga): “La mujer en el grabado del siglo XVI. Una panorámica general”
  • Sagrario López Poza (Universidade La Coruña): “Expresión ingeniosa en empresas de damas del siglo XVI”

Almoço (livre)

SESSÃO 3, 14h15-15h45: Diplomacia e política: um jogo de damas

Moderação: Paula Barata Dias (Universidade de Coimbra)
  • Manuel Ferro (Universidade de Coimbra): A excelsa Infanta D. Maria de Portugal: um caso exemplar na cultura do Século XVI
  • Rosário Ferreira (Universidade de Coimbra): “«Fermosíssima Maria»: Infanta de Portugal, Rainha de Castela”
  • Maria Paula Meneses (Universidade de Coimbra): “Mazvarira: a embaixadora do Mwenemutapa”

Pausa para café (15H45-16H15)

SESSÃO 4, 16h15-17h45: Mulheres nas margens das narrativas hegemónicas

Moderação: José Augusto Cardoso Bernardes (Universidade de Coimbra)
  • Adriana Bebiano (Universidade de Coimbra): “Oulaw woman: Grace O’Malley, a pirata excluída da narrativa nacionalista irlandesa”
  • Jorge Fonseca (Investigador): “Simoa Godinho, uma são-tomense na Lisboa de Quinhentos. Negócios, poder e mecenato”
  • Vanda Anastácio (Universidade de Lisboa): “Representação, idealizações e mulheres reais: interrogar as fontes, os silêncios e o discurso historiográfico sobre as mulheres do século XVI”

Encerramento: Adriana Bebiano e Filipa Araújo (17H45)