Mostrar mensagens com a etiqueta Albano António Cabral Figueiredo. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Albano António Cabral Figueiredo. Mostrar todas as mensagens

2007/09/01

FLUC - Literatura Portuguesa 4 integra estudos camonianos, por Paulo Jorge da Silva Pereira


Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

LITERATURA PORTUGUESA 4

Programa 2007/2008
1º Semestre

Docentes: Doutor Albano António Cabral Figueiredo
Dr. Paulo Jorge da Silva Pereira





Conhecimentos de base recomendados (áreas ou disciplinas):

Recomenda-se o contacto prévio com a seguinte bibliografia activa:
  • Luís de Camões, Rimas. Texto estabelecido, revisto e prefaciado por Álvaro J. da Costa Pimpão. Apresentação de Aníbal Pinto de Castro. Coimbra, Livraria Almedina, 2005.
  • Luís de Camões, Os Lusíadas. Leitura, prefácio e notas de Álvaro Júlio da Costa Pimpão. Apresentação de Aníbal Pinto de Castro. Lisboa, I.C.L.P., 1989 (várias reimpr.).
  • António Vieira, Obras Completas. Com prefácio e notas do Prof. Marques Braga. Lisboa, Sá da Costa, 1945-1946 ( 3 vols. ). Ou Sermões. Pref. e rev. do Padre Gonçalo Alves. Porto, Lello & Irmão, s/d.


Resumo:

I - Introdução. 

1- O quadro histórico-social e cultural de Portugal na segunda metade do séc. XVI e no séc. XVII. 

2- A evolução dos códigos literários e a dinâmica periodológica.
2.1- Renascimento e Maneirismo: soluções de continuidade e sinais de transformação.
2.2- A emergência da estética barroca.

II - As Rimas de Luís de Camões. 

1- A formação estética do Poeta e o seu eclectismo. 

2- Os modelos e os códigos: a tradição cortesanesca peninsular; Dolce stil nuovo, Petrarquismo e Neoplatonismo. 

3- Os grandes temas do lirismo camoniano: sua caracterização e organização. 

4- As formas de expressão: variedade e propriedade semântica. 

5- O idiolecto camoniano - da imitação à elaboração de um discurso poético próprio.

III - A poesia portuguesa do Maneirismo.

IV - A oratória do Padre António Vieira. 

1- A formação intelectual e a experiência de vida. 
2- A oratória barroca e o sermonário de Vieira: da preceptística da Sexagésima à constelação discursiva pessoal. 
3- O ideário e a prática parenética: os temas, os lugares e os tempos do pregador. Vieira no espaço luso-brasileiro e nos palcos do mundo. 
4- Do dito ao escrito: a fala e a escrita como exercitação da língua e construção de um estilo.

V - Conclusão.


Métodos de ensino: 

Para além da exposição teórica levada a cabo pelo docente, lançando mão de variadas estratégias e de diversos instrumentos de apoio didáctico, será valorizado o contributo ativo e crítico dos alunos na análise e interpretação dos textos literários e doutrinários seleccionados.

Resultados:

Pretende esta cadeira fornecer uma visão criticamente amadurecida das tensões que afetaram o campo literário no período histórico-cultural que abarca (séculos XVI e XVII), não só mediante o estudo dos autores e obras mais representativos, mas pondo também em relevo a multímoda dinamização de códigos e géneros. 
Por outro lado, deverão os alunos ter aprofundado o diálogo crítico com os textos e desenvolvido o interesse pela investigação em torno das matérias tratadas.




Bibliografia de referência:

  • BERNARDES, José Augusto Cardoso, História Crítica da Literatura Portuguesa. Vol. II - Humanismo e Renascimento. Lisboa, Verbo, 1999, pp. 369-463; 
  • CASTRO, Aníbal Pinto de, "Camões e a tradição poética peninsular", in Actas da III Reunião Internacional de Camonistas. Ponta Delgada, Universidade dos Açores, 1984, pp.133-151; 
  • CASTRO, Aníbal Pinto de, "Camões", in Biblos. Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa. Lisboa, Editorial Verbo, 1995, cols. 884-905; 
  • CASTRO, Aníbal Pinto de, António Vieira: uma síntese do Barroco luso-brasileiro. Lisboa, Correios de Portugal, 1997; 
  • MARNOTO, Rita, O Petrarquismo português no Renascimento e no Maneirismo. Coimbra, Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, 1997; 
  • MATOS, Maria Vitalina Leal de, Introdução à poesia de Luís de Camões. Lisboa, I.C.L.P., 1987.; 
  • MENDES, Margarida Vieira, A oratória barroca de Vieira. Lisboa, Editorial Caminho, 1989; 
  • MENDES, Margarida Vieira (Org.), Vieira escritor. Lisboa, Cosmos, 1997;
  • PIRES, Maria Lucília Gonçalves e CARVALHO, José Adriano de, História Crítica da Literatura Portuguesa. Vol.III - Maneirismo e Barroco. Lisboa, Editorial Verbo, 2001; 
  • SARAIVA, António José, O discurso engenhoso. Lisboa, Gradiva, 1996; 
  • SILVA, Vítor Manuel de Aguiar e, Camões. Labirintos e fascínios. Lisboa, Cotovia, 1994.



Avaliação:

Avaliação contínua (uma apresentação oral, um resumo crítico e um teste escrito) ou avaliação final (um exame escrito, que abrange todos os conteúdos leccionados e tem lugar no final do semestre, podendo implicar a realização complementar de uma prova oral).

Língua de ensino:

Português

Duração:

Semestral ( 1º ), com 4 horas semanais.